Google+ Versículos para meditação: Abril 2013

A mesquinharia, em qualquer sentido, empobrece uma pessoa


Um dá liberalmente, e se torna mais rico; outro retém mais do que é justo, e se empobrece. 
A alma generosa prosperará, e o que regar também será regado. 
Provérbios 11:24-25 (AA)

Algumas pessoas gastam com generosidade e ficam cada vez mais ricas; outras são econômicas demais e acabam ficando cada vez mais pobres.
Quem é generoso progride na vida; quem ajuda será ajudado. 
Provérbios 11:24-25 (NVLH)

Quando eu leio um versículo na Bíblia gosto de comparar várias versões e a minha preferida é na linguagem de hoje. Mas seja qual for a versão nesse versículo fica claro que a mesquinharia, em qualquer sentido, empobrece uma pessoa.

Pessoas boas, que procuram viver uma vida de maneira honesta, sendo estupidamente assassinadas. É revoltante não é mesmo?


Quem é fiel na retidão encaminha para a vida e aquele que segue o mal encontra a morte. Prov. 11:19 

Nos dias atuais nós temos visto com uma freqüência absurda pessoas trabalhadoras e inocentes encontrando a morte. 

Pessoas boas, que procuram viver uma vida, aos olhos humanos, de maneira honesta, sendo estupidamente assassinadas.

É cada caso revoltante que vemos nos noticiários da TV não é mesmo?

Mas a morte que esse versículo nos mostra não é a física, até porque todos nós um dia, mais cedo ou mais tarde, passaremos por ela (sejamos bons ou maus) e bom seria que quando isso acontecesse, estivéssemos dormindo em nossa casa ou abraçado com quem a gente ama...Esse versículo fala da verdadeira morte, que é a morte espiritual.

Quando procuramos viver uma vida de retidão (que não tem nada a ver com ser perfeito, até porque ninguém é) buscamos a Deus, colocamos a nossa vida em Seu Altar, firmamos uma aliança e nos mantemos fiel a Ele (mesmo quando tudo à nossa volta queira nos afastar da Sua Presença) estamos encaminhando a nossa alma para a vida - a vida eterna.

Mas aquela pessoa que segue o mal e mesmo dentro de uma igreja vive uma vida de engano, é falsa, hipócrita, enganadora, infiel...encontra a morte - a morte eterna, que é muito pior e mais dolorosa do que a morte física. É a morte da alma.

Deus é infinitamente amoroso e a Sua bondade excede qualquer limite, mas Ele também é justo. Há quem esqueça disso e viva a vida de qualquer maneira, sem se importar com a sua salvação. Esquecem que ninguém "está salvo", mas "será salvo" se permanecer fiel até o fim. E esse fim pode ser a qualquer momento...

Cuidemos da nossa salvação.

Sonhos, projetos, metas...todo mundo tem os seus


Todos nós temos sonhos, projetos ou metas para o futuro e por mais que venhamos imaginar ou determinar como será o nosso amanhã, uma coisa é certa, se Deus não estiver à nossa frente, todos eles serão frustados.


O coração do homem pode fazer planos, mas a resposta certa dos lábios vem do SENHOR.
Confia ao SENHOR as tuas obras, e os teus desígnios serão estabelecidos. Prov.16:1e 3

Ontem, já foi. Passou para sempre e nada que venhamos fazer, trará de volta o dia de ontem.

Amanhã, está nas mãos de Deus. Lugar onde está os nossos sonhos, projetos, metas...

Hoje, duas oportunidade que temos: uma para não repetir os mesmos erros de ontem e outra para permitir que Deus esteja no controle de nossas vidas. Só assim veremos os nossos sonhos, projetos, metas...realizados.

Nada melhor do que ter a consciência limpa


Assim, aproximemo-nos de Deus com um coração sincero e com plena convicção de fé, tendo os corações aspergidos para nos purificar de uma consciência culpada e os nossos corpos lavados com água pura. Hebreus 10:22-23

Uma consciência culpada impede uma pessoa de se aproximar de Deus.

Somos todos pecadores, falhos e não existe uma pessoa que seja perfeita ou que não cometa erros e Deus sabe disso, mas quando reconhecemos o quão pecadores somos e nos aproximamos Dele com sinceridade, Ele ouve a nossa oração, vem ao nosso encontro e perdoa os nossos pecados, seja ele qual for.

A partir desse momento precisamos lutar dia a dia contra nós mesmos, contra nossas vontades carnais e procurar viver uma vida afastada do pecado e de tudo aquilo que desagrada a Deus, para que a nossa consciência se mantenha limpa.

Não é fácil, pois há uma guerra constante entre a nossa carne, que só quer aquilo que contraria a vontade de Deus e a nossa alma, que quer estar perto Dele, mas se queremos de fato manter um relacionamento profundo com Deus e ter intrepidez para entrar no Santo dos Santos é o que devemos fazer.

Trocando a benção de Deus por um prato de comida...

E tomem cuidado também para que ninguém se torne imoral ou perca o respeito pelas coisas sagradas, como Esaú, que, por causa de um prato de comida, vendeu os seus direitos de filho mais velho. Como vocês sabem, depois ele quis receber a bênção do seu pai. Mas foi rejeitado porque não encontrou um modo de mudar o que havia feito, embora procurasse fazer isso até mesmo com lágrimas. Hebreus 12:16-17 (NVLH)


Esaú cresceu ouvindo seus pais (Isaque e Rebeca) falarem de Deus, mas não temia e muito menos teve uma experiência pessoal com Ele e nem se esforçou para ter. 

Ao lermos a historia da sua vida no livro de Gênesis (a partir do cap. 25) e refletirmos sobre suas ações e caráter podemos chegar a essa conclusão.

Esaú desprezou e depois vendeu o seu direito da primogenitura (Gen. 25:29-34) trocando a benção de Deus por algo que lhe proporcionaria apenas uma satisfação momentânea. 

Talvez pelo fato de ser um hábil caçador e ser o filho preferido de Isaque, Esaú pouco se importasse com o direito de primogenitura. Ele 
não enxergava a grandeza que aquela benção traria para sua vida e para sua descendência; confiava em si mesmo e pensava que seu futuro estava garantido, afinal ele era o primogênito.

(Jacó foi errado, mas se ele fez a proposta para Esaú é porque conhecia bem o seu irmão e sabia que ele não se importava com a benção de Deus.) 

O tempo passou e quando chegou o momento de receber a benção, Jacó, ajudado por sua mãe, se passou por Esaú e foi abençoado por Isaque. 

Isaque não sabia do "acordo" que seus filhos fizeram e não abençoaria Jacó, se ele não tivesse agido dessa maneira. Ele agiu novamente errado, mas foi Esaú quem desprezou e trocou sua benção por um prato de comida... 

Esaú ficou furioso e muito magoado com Jacó. Ele chorou amargamente diante do seu pai, mas suas lagrimas não foram de arrependimento por ter desprezado a Deus, foram de remorso.

Se ele reconhecesse seu erro e reconhecesse que se ele estava naquela situação, era porque não honrou a Deus e pedisse perdão, eu acredito que Deus o abençoaria. 

Mas Esaú não queria a benção de Deus, queria a benção do seu pai. 

Ele não honrava e nem queria honrar a Deus. 

Ele desprezava a Deus e Deus sabia disso. 

Esaú desprezou a benção de Deus (Gen.25:32). Trocou-a por algo momentâneo (Gen.25:34) e depois começou a planejar uma vingança contra seu irmão (Gen.27:41). Acho que ele pensava que Jacó era seu problema e se ele o matasse, conseguiria viver em paz...

Depois de alguns anos Esaú até conseguiu perdoar Jacó (Gen.33) mas continuou vivendo sem compromisso com Deus, desprezando a Deus. 

Em Hebreus, Deus nos alerta para que não façamos o mesmo que Esaú fez. 

Muitos tem trocado a benção de Deus, por algo momentâneo. Assim como Esaú, não buscam ter compromisso e nem conhecer a Deus, querem apenas que "Isaque" coloque as mãos em suas cabeças, pois acham que dessa maneira serão abençoados, mas dentro de si desprezam a Deus.

Esaú por um tempo foi bem sucedido, talvez pela sua habilidade ou pela força do seu braço (Gen.33:9), mas seu fim e o da sua descendência foi triste. 

O mesmo acontece com aqueles que não buscam honrar a Deus de verdade, não tem temor, se apoiam no fato de estar numa igreja há anos e como Esaú acham que seu futuro já está garantido por isso.

No livro de Malaquias no capítulo 1 podemos vê como foi o fim da vida de Esaú. Será que o futuro dessas pessoas poderá ser diferente?

“…aos que Me honram, honrarei, porém, os que Me desprezam serão desmerecidos.”

A salvação é para os que creem

No ano seiscentos da vida de Noé, no mês segundo, aos dezessete dias do mês, naquele mesmo dia se romperam todas as fontes do grande abismo, e as janelas dos céus se abriram. E houve chuva sobre a terra quarenta dias e quarenta noites. E no mesmo dia entraram na arca Noé, seus filhos Sem, Cão e Jafé, sua mulher e as mulheres de seus filhos. Gênesis 7:11-13

Noé fez o que Deus lhe pediu: construiu a arca e anunciou durante muitos anos o dilúvio. 

Eu imagino que a família de Noé, assim como as demais pessoas, não acreditaram de imediato no que estava para acontecer e nem nas palavras de Noé. Por algum tempo devem ter chamado ele de louco ou devem ter dito que ele estava perdendo o seu tempo. 

Mas Noé não se deixou desanimar e continuou firme, obedecendo a ordem de Deus, até que chegou o grande dia.

Ao contrário dos animais, nenhum ser humano poderia ser forçado, arrastado ou carregado para dentro da arca, ele teria de escolher: acreditar na palavra de Deus proferida pelos lábios de Noé ou duvidar da palavra de Deus e achar que Noé era um louco, que estava tendo um surto.

Todos tiveram a oportunidade de se arrepender e abandonar os seus pecados e se voltar para Deus, acreditar Nele e serem salvos. Mas apenas a família de Noé entrou na arca e foi salva do dilúvio que caiu sobre a terra. Seus filhos, suas noras e sua esposa foram salvos não por causa de Noé, mas porque eles escolheram acreditar em Deus e decidiram entrar na arca.

Noé amava sua família, mas se eles não tivessem feito essa escolha, ele não poderia fazer nada a respeito, morreriam todos no dilúvio.

Ninguém pode ser forçado, arrastado ou carregado para dentro da arca, é uma escolha pessoal. A salvação é para os que creem (e entram com suas próprias pernas na arca).

Batalha da mente


Tenha cuidado com o que você pensa, pois a sua vida é dirigida pelos seus pensamentos. Prov.4:23

A nossa mente é um campo de batalha.

De um lado da nossa mente fica um exercito de pensamentos ruins e sentimentos negativos como o medo, a inveja, a depreciação e outros que são comandados por um General implacável chamado Dúvida.

Quando esse exército ganha a batalha em uma mente, o resultado é uma vida fracassada em todos os sentidos.

Sabe aquela pessoa que vive pra baixo, depressiva, desanimada, incrédula, negativa?

Aquela que pensa: eu não posso pois fulana é melhor do que eu, é mais bonita, mais capacitada, eu não estudei...e vive se lamentando ou se fazendo de coitada para que outros sintam pena?

Aquela que vive em função da opinião alheia e por isso tem medo de abrir a boca ou tomar alguma decisão?

Aquela que fica sentada na janela vendo a caravana passar e quando a caravana já está bem longe é que ela decide seguir? (Mas é tarde e ela tem medo de ir sozinha, por isso prefere voltar e ficar na janela se lamentado...Vitoria do General Dúvida!)

Do outro lado da nossa mente fica um exército de pensamentos positivos que é comandado por um General chamado .

Sabe aquela pessoa que mesmo enfrentando lutas não desanima, não se entrega?

Aquela que se uma porta se fecha, ela não fica se lamentando, mas corre e bate em outra e se a porta não abrir novamente, ela pega uma marreta, quebra a parede e abre uma porta para passar?

Aquela pessoa que não existe tempo ruim para ela, pois está sempre alegre, determinada e positiva?

Ninguém acredita nela, mas ela acredita primeiramente em Deus e em si mesma. Fulana pode ser melhor, mais bonita, mais bem preparada, pode ter estudado em Harvad, mas isso não quer dizer nada para ela.

Ela pode até cair, mas não fica no chão se lamentando. E se um imprevisto acontece, ela supera, pois crê no invisível e sabe que não existe impossível.

É isso que acontece quando o exército comandado pelo General Fé ganha a batalha em uma mente. O resultado é uma vida abençoada em todos os sentidos.

Quem dá suporte e municia os Generais e seus exércitos para que possam vencer a guerra em nossa mente, somos nós mesmos. 

O exército que mais fortalecermos é quem dirigirá e determinará o rumo da nossa vida. A escolha é nossa.

*Dando suporte ao General Fé através do #jejumdedaniel e caminhando rumo à transformação da minha vida no Monte Hermon.



Vida com Deus

Leia 2 Crônicas 26


Quando uma pessoa não é nascida de Deus, por algum tempo e talvez por causa de exemplos de homens e mulheres de fé, ela se sinta motivada a servir ao Senhor; ela seja fiel, faça tudo certinho e consequentemente alcance bênçãos por isso, assim como o rei Uzias.

Mas um dia, cedo ou tarde, pelo fato de não ter nascido de Deus, essa pessoa pode chegar a cair e até mesmo se voltar contra Ele. Talvez essa queda não se dê numa situação difícil que ela venha enfrentar, mas se dê quando tudo estiver bem e a sua vida indo “de vento em popa”.

Uzias se tornou rei muito novo. Ele tinha dezesseis anos quando começou a reinar, e cinqüenta e cinco anos reinou em Jerusalém.
“Seguindo o exemplo do seu pai, fez aquilo que agrada a Deus, o SENHOR. Enquanto Zacarias viveu, Uzias serviu a Deus fielmente, pois Zacarias o ensinou a respeitar o SENHOR. Durante esse tempo Deus o abençoou.” (VS 4-5) 
Uzias servia o Senhor fielmente e era abençoado por isso. Ele prosperava, era bem sucedido nas batalhas, tinha êxito em tudo que fazia e sua fama se espalhou por toda parte, pois se tornou muito poderoso e Deus o ajudava (VS 6-15).

Uzias fez tudo certinho por um bom tempo, mas de maneira religiosa e talvez quem sabe, por incentivo de Zacarias. Mas ele não tinha compromisso com Deus e nem era nascido Dele. Isso se tornou evidente no momento em que ele se tornou poderoso.
“Entretanto, depois que Uzias se tornou poderoso, o seu orgulho provocou a sua queda. Ele foi infiel ao Senhor, ao seu Deus, e entrou no templo do Senhor para queimar incenso no altar de incenso.” 2 Crônicas 26:16 
Uzias começou a pecar contra Deus e já não havia mais nele temor. Chegou ao ponto de se achar no direito de entrar no santuário para queimar incenso no Altar, algo que ele jamais poderia fazer.

O sacerdote Azarias, juntamente com outros sacerdotes tentou alerta-lo da sua insensatez, mas ele ficou muito furioso com os sacerdotes. Uzias não ouvia mais ninguém (VS 17-18).

O resultado dessa insensatez? Uzias ficou leproso, teve que morar sozinho e ficou proibido de entrar no Templo. Ele sofreu com a doença até o dia da sua morte. (Acredito eu que tenha sido por causa do seu orgulho e por não ter se arrependido e buscado o perdão de Deus).
Uzias morreu e foi sepultado no cemitério dos reis em Jerusalém, mas não nos túmulos dos reis, por causa da sua doença. E o seu filho Jotão ficou no lugar dele como rei. 2 Crônicas 26:23 (NVLH) 
Se nos túmulos aqui da terra não houve lugar para ele, imagina no Reino de Deus...

Como pode? Um homem que serviu e foi “fiel” a Deus por tanto tempo. Um homem que conquistou, fez sucesso e foi abençoado durante muitos anos do seu reinado, morrer desse jeito e o pior, longe do Senhor?

A resposta é clara, Uzias não tinha vida com Deus.

Ele se tornou um homem religioso que apenas seguia os ensinamentos de Zacarias, mas não tinha compromisso com Deus e por isso caiu em desgraça.

O mesmo pode acontecer conosco se não buscarmos ter vida com Deus e estreitar o nosso relacionamento com Ele.

Tem de haver essa sede em cada um de nós.

Não podemos apenas seguir as orientações de "Zacarias" e ser uma pessoa religiosa, que faz tudo certinho, é boazinha e que é motivada a servir a Deus por causa dos bons exemplos. Devemos ter compromisso com Deus e buscar conhece-Lo dia a dia, ter intimidade com Ele, nascer Dele.

Deus já nos mostrou o caminho.
Buscar-me-eis, e me achareis, quando me buscardes de todo o vosso coração e serei achado de vós, diz o Senhor... Jer. 29:13 

Deus falou comigo hoje!
#DesafioGodllywood49
#jejumdedaniel

Fé e esperança


Abraão teve fé e esperança, mesmo quando não havia motivo para ter esperança, e por isso ele se tornou “o pai de muitas nações”. Como dizem as Escrituras: “Os seus descendentes serão muitos.”
Abraão tinha quase cem anos. Mas, mesmo quando ele pensou a respeito do seu corpo, que já estava como morto, ou quando lembrou que Sara não podia ter filhos, a sua fé não enfraqueceu.
Abraão não perdeu a fé, nem duvidou da promessa de Deus. A sua fé o encheu de poder, e ele louvou a Deus porque tinha toda a certeza de que Deus podia fazer o que havia prometido.
Romanos 4:18-21


Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *